Até domingo — Ano A

Terceiro Domingo de Advento

Ide contar o que vedes e ouvis

Até domingo

Oração diária a partir do evangelho do domingo seguinte. Uma proposta traduzida e adaptada do original em francês apresentado em «vers dimanche».

Segunda, 5 de dezembro

A pergunta de João

O episódio narrado no evangelho proposto pela Igreja para o Terceiro Domingo de Advento (Ano A) apresenta João Batista num momento crucial da sua vida. Foi preso por ter denunciado publicamente um escândalo na família real e os seus apelos à conversão incomodavam as autoridades religiosas. Entretanto, está confuso com o que ouve dizer sobre Jesus. Terá ele imaginado uma salvação mais ao estilo «super heróis»? Em qualquer caso, questiona-se. Confio ao Senhor os momentos em que também me sinto um pouco perdido, e peço-lhe que me ilumine.

Terça, 6 de dezembro

O mistério de Jesus

Como João, também pode acontecer que eu não compreenda as palavras e os gestos de Jesus Cristo. Esta minha incompreensão pode ser por causa do que está escrito nos evangelhos, ou por causa do que me acontece atualmente. Às vezes, tenho dificuldade em entender o que o Senhor faz ou quer de mim, e isso pode-me desmotivar. Então, peço-lhe a graça de nunca perder a confiança, nele e em mim.

Quarta, 7 de dezembro

A Boa Nova

Jesus não foge à questão dos discípulos de João. Mas convida João e os seus interlocutores a uma tomada de posição: «bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo». De forma pedagógica, cita as Escrituras para recordar a origem das suas ações e dos seus frutos. Leio lentamente a passagem: «os cegos veem…». Hoje, escolho estar atento a sinais semelhantes no meu quotidiano: como é que se dá a cura da cegueira e da surdez?

Quinta, 8 de dezembro

A graça realizada em Maria

Ao celebrar a Imaculada Conceição de Maria, festejamos a preferência de Deus por toda a humanidade. Pela sua confiança e disponibilidade, pelo seu hábito em conservar as coisas no coração de mãe e de crente, Maria é a «primeira a caminho». Ela testemunha uma intimidade profunda com o Senhor. No coração deste Advento e com o auxílio de Maria, decido preparar o Natal dando tempo e espaço à oração.

Sexta, 9 de dezembro

João, um modelo

Jesus faz um elogio a João Batista. Isso ajuda-nos a entrar no mistério deste homem pouco comum. Pais cheios de fé e de esperança, nascimento inesperado, primo de Jesus, asceta à vontade no deserto e diante das multidões que vêm ao seu encontro, este homem atua no Jordão com um sentido apurado de justiça e a missão especial de anunciar a iminência do Messias. João faz parte dos amigos de Deus que podem inspirar as minhas intenções e os meus atos deste dia.

Sábado, 10 de dezembro

João, um caminho

Apesar de elogiar João, Jesus não perde de vista o seu projeto: ajudar os seus ouvintes — e a nós também — a entrar na dinâmica alegre e radical do Reino de Deus. Não hesita, portanto, em dizer que João é «menor» do que os menores no Reino. Precisamos de seguir pelo caminho aberto por João para entrar no Reino. Peço a graça de querer viver, no dia a dia, a energia do Reino.

Domingo, 11 de dezembro

Um povo de profetas

Esta troca entre João e Jesus recorda um aspeto paradoxal da festa do Natal que se aproxima. Sim, uma santa boa nova é anunciada, boa nova já trazida por João: Deus vem salvar-nos. Mas há uma grande incompreensão sobre a maneira de agir deste Deus que não se impõe. No nascimento como na vida pública de Jesus, Deus revela-se numa determinada forma de impotência e em sinais que só a fé ajuda a reconhecer. No Natal, os surdos ouviram… e a boa nova foi anunciada aos pobres. Mas isso sucedeu na alegre discrição que pede um coração aberto ao inesperado. A nós, também nos pede confiança e que nos tornemos profetas desta boa nova que encoraja e faz viver.

Evangelho

Mateus 11, 2-11

Naquele tempo, João Batista ouviu falar, na prisão, das obras de Cristo e mandou-Lhe dizer pelos discípulos: «És Tu Aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?». Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres. E bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo». Quando os mensageiros partiram, Jesus começou a falar de João às multidões: «Que fostes ver ao deserto? Uma cana agitada pelo vento? Então que fostes ver? Um homem vestido com roupas delicadas? Mas aqueles que usam roupas delicadas encontram-se nos palácios dos reis. Que fostes ver então? Um profeta? Sim – Eu vo-lo digo – e mais que profeta. É dele que está escrito: ‘Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, para te preparar o caminho’. Em verdade vos digo: Entre os filhos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Batista. Mas o menor no reino dos Céus é maior do que ele».

© Secretariado Nacional de Liturgia