Tempo Comum | Anos Pares

Livro de Amós

27. Junho. 2016

O Livro de Amós, do qual se lê seis textos na Décima Terceira Semana (primeira leitura, anos pares), constitui uma compilação de oráculos do mais antigo profeta «escritor», um dos doze profetas menores do cânone bíblico.

O Livro de Amós, do qual se lê seis textos na Décima Terceira Semana (primeira leitura, anos pares), constitui uma compilação de oráculos do mais antigo profeta «escritor», um dos doze profetas menores do cânone bíblico.

Tendo vivido no século oitavo antes de Cristo, Amós exerceu o ministério profético no próspero e populoso reino do Norte, separado política e religiosamente de Jerusalém dois séculos antes, e governado até perto de 760 antes de Cristo pelo rei Jeroboão II.

Amós, simples vaqueiro e incisor de sicómoros (cortavam-se os sicómoros para lhes extrair o suco amargo e amarelo e os tornar assim comestíveis para o gado), denuncia violentamente o grande pecado de Israel: a injustiça social, que desfigura a relação com o ser humano, tão grave como o pecado de idolatria, que desfigura a relação com Deus.

O Livro de Amós começa com uma série de sete oráculos «contra as nações» (1, 3 – 2, 5), culminando com um oitavo oráculo contra Israel (2, 6-15). Seguem-se outros oráculos (3, 1 – 6, 14) e visões (7, 1 – 9, 10).

O tom do livro, muito sombrio, só ganha luz no final com uma promessa de salvação e de restauração para a casa de David (9, 11-15).

© Editora Paulus
© Adaptado pelo Laboratório da fé