Tempo Comum | Anos Pares

Dias feriais: segunda a sábado

16. Maio. 2016

A atitude espiritual de todo o Tempo Comum é-nos sugerida pela oração coleta que acompanha a primeira semana: «Atendei, Senhor, as orações do vosso povo: dai-lhe luz para conhecer a vossa vontade e coragem para a cumprir fielmente».

A segunda parte do «Tempo Comum» — o período entre a segunda-feira a seguir ao Pentecostes e o sábado da trigésima quarta semana (o dia anterior ao primeiro domingo de Advento do novo ano litúrgico) — retoma a dinâmica interrompida para dar lugar à Quaresma e Páscoa. Este ano (2016) recomeça com a sétima semana.

Nos dias feriais (segunda a sábado), a Liturgia organiza-se em dois ciclos: anos pares e anos ímpares, de acordo com a terminação de cada ano; por exemplo: 2016 termina em seis logo trata-se de um «ano par».

A primeira leitura dos «anos pares» começa pelos Livros de Samuel (primeiras quatro semanas) até ao Apocalipse (último livro da Sagrada Escritura). Nesta visão geral, os textos permitem uma visita ao grande panorama da História da Salvação.

Nos «anos pares», como já referimos, as primeiras quatro semanas propõem textos retirados dos Livros de Samuel, juntamente com uma parte do Primeiro Livro dos Reis, que continua na semana seguinte (quinta).

Da sexta à nona semana

A sexta e a sétima semanas contêm a Carta de Tiago, dando lugar, na oitava, à Primeira Carta de Pedro e à Carta de Judas.

Temos, portanto, a proposta de vários livros, nas primeiras semanas. Se a História contida nos Livros de Samuel e dos Reis apresenta as páginas mais características de uma caminhada em que se cruzam os mais variados acontecimentos, sempre narrados como «advertências», as páginas do Novo Testamento permitem entrar em contacto, através das palavras de Tiago, Pedro e Judas, com os conselhos para a vida em Cristo (não esqueçamos que quer a Carta de Tiago, quer a Primeira Carta de Pedro são verdadeiras e autênticas homilias).

A nona semana divide-se entre a Segunda Carta de Pedro (segunda e terça) e a Segunda Carta a Timóteo (quarta a sábado).

Da décima à vigésima semana

Depois, as semanas seguintes trazem textos do Antigo Testamento: três semanas dedicadas aos Livros dos Reis (décima, décima primeira e décima segunda), com um texto do livro das Lamentações no último dia; oito semanas (décima terceira até à vigésima) dedicadas às profecias de Amós, Oseias, Isaías, Miqueias, Jeremias, Naum, Habacuc, Ezequiel.

Os textos dos Livros dos Reis retomados na décima semana, que abrangem um período de quatro séculos, oferecem a história da monarquia de Israel a partir da morte de David até ao exílio na Babilónia. O assunto central é sem dúvida a divisão dos dois reinos (Israel e Judá) e o respetivo desmoronamento. Mas mantém-se vive a esperança ligada a David e à sua descendência, esperança essa que encontrará resposta no Messias.

Da vigésima primeira à vigésima quarta semana

A vigésima primeira semana inaugura os textos paulinos com a Segunda Carta aos Tessalonicenses (segunda a quarta), seguida da Primeira Carta aos Coríntios (desde quinta-feira da vigésima primeira até ao sábado da vigésima quarta semana).

Vigésima quinta e vigésima sexta semana

Os livros sapienciais dos Provérbios (segunda a quarta), Eclesiastes ou Coélet (quinta a sábado) ocupam a vigésima quinta semana, seguindo-se o livro de Job, na vigésima sexta semana.

Da vigésima sétima à trigésima quarta semana

A vigésima sétima semana volta ao Novo Testamento com a Carta aos Gálatas (até à quarta-feira da vigésima oitava semana), seguida da Carta aos Efésios (da quinta-feira da vigésima oitava à quinta-feira da trigésima semana), Carta aos Filipenses (até ao sábado da trigésima primeira semana), Carta a Tito (segunda a quarta da trigésima primeira semana), Carta a Filémon (quinta-feira da trigésima primeira semana).

As três cartas de João são visitadas entre a sexta-feira da trigésima primeira semana e o sábado da trigésima segunda semana.

As duas últimas semanas (trigésima terceira e trigésima quarta) têm uma característica particular, que em sintonia com a escolha feita dos evangelhos, oferece também na primeira leitura textos de natureza escatológica retirados do livro do Apocalipse.

A atitude espiritual de todo o Tempo Comum é-nos sugerida pela oração coleta que acompanha a primeira semana: «Atendei, Senhor, as orações do vosso povo: dai-lhe luz para conhecer a vossa vontade e coragem para a cumprir fielmente».

© Manlio Sodi | Editora Paulus
© Angelo Lameri | Editora Paulus
© Adaptado pelo Laboratório da fé