Escola permanente da palavra bíblica

Segunda semana: alimento diário

Reflexão diária

Gerar fé. É a temática que propomos para a primeira parte do Tempo Comum. Este ano (2016) sugerimos um itinerário que permita frequentar duas «escolas». A primeira é a «escola permanente da Palavra bíblica» através dos textos propostos para a primeira leitura de cada dia. Este há de ser um «tempo favorável» para a gestação da fé. Não se trata de «técnica ou um procedimento particular», mas de um processo que «torna possível o nascimento e o amadurecimento da fé», um processo que permita novos «partos».

Os dias feriais da segunda semana (segunda a sexta) continuam a oferecer, nas primeiras leituras, textos escolhidos do Primeiro Livro de Samuel; para sábado é proposto um fragmento do Segundo Livro de Samuel. As vicissitudes dos últimos dias de Saul (segunda-feira: «Rejeitaste a palavra do Senhor») preparam a escolha e a unção de um novo rei: David (terça-feira: «O Espírito do Senhor apoderou-Se de David»). Depois, a derrota de Golias, representante dos filisteus (quarta-feira: «David triunfou do filisteu»), fez aumentar a fama de David, o que provocou a inveja de Saul (quinta-feira: «Só lhe falta ser rei»). Apesar disso, David manifesta a sua fidelidade ao rei (sexta-feira: «Mostraste a tua bondade para comigo»), a ponto de convidar todo o povo a chorar a morte de Saul e do seu filho Jónatas (sábado: «Lamentaram-se, choraram e jejuaram»).

Segunda, 18 de janeiro

Afastar-se da palavra de Deus

«Rejeitaste a palavra do Senhor».

Terça, 19 de janeiro

A ilusão das aparências!

«O Espírito do Senhor apoderou-Se de David». Há um lado terra a terra no Antigo Testamento que nos deixa sempre maravilhados! Os relatos simples (e banais) ajudam a revermos neles a nossa vida. Até Deus perde a paciência! Samuel prefere manter a situação, tem medo das consequências. Deus quer a mudança. Ora, como (quase) todos os humanos, Samuel deixa-se levar pelas aparências, pelo aspeto exterior. É preciso estar atento a todas as possibilidades. E assim a escolha recai sobre o último: David. Há de tornar-se o primeiro! Os comportamentos de Samuel lembram os nossos: saudades do passado, queixas contra Deus, juízos superficiais, necessidade de analisar todas as opções, mudar de ponto de vista.

Quarta, 20 de janeiro

Vencer os «Golias» da nossa vida

«David triunfou do filisteu». Deus está do lado dos mais frágeis. A situação é clara: um guerreiro gigante armado até aos dentes e um jovem pastor apenas com uma pedra e uma funda. A vitória do mais pequeno provoca simpatia. Mas, na realidade, ele não está sozinho, pois por trás dele está Deus. David sozinho nada conseguiria. Como pode este relato iluminar a nossa vida? Quais são os «Golias» que temos de enfrentar? O que podemos fazer perante as catástrofes naturais ou provocados pelos humanos? Face a estes e outros «Golias», deixemo-nos inspirar por David e pela sua confiança em Deus, mesmo diante de um obstáculo que parecia intransponível.

Quinta, 21 de janeiro

O preço da glória: a inveja

«Só lhe falta ser rei». Quem não sonha ter o seu momento de glória? Todos ansiamos ser reconhecidos, ser louvados pelas nossas capacidades, ações… ou apenas pelo belo aspeto! Mas a «celebridade» tem sempre o reverso da medalha. E quando se trata da «glória» dos outros… O jovem David sentiu-o na pele. Os louvores populares provocaram a inveja de Saul. E todos sabemos que a inveja é cega quando lhe damos o nosso coração. Foi preciso a intervenção do seu filho, Jónatas, para trazer à razão a mente e o coração de Saul. A inveja, de facto, nunca é uma boa conselheira!

Sexta, 22 de janeiro

Fazer o bem

«Mostraste a tua bondade para comigo». Um homem bom é sempre um rei, mesmo que não exerça outro tipo de reinado. A bondade é só por si uma realeza. O texto relata a relação tumultuosa entre Saul e David que se instaura a partir do dia em que Saul inveja a admiração popular de David. Mas este não responde com a mesma agressividade, antes prova de novo a sua lealdade ao rei. A justiça pertence a Deus e David não pretende ser detentor desse direito. A sua atitude dá a conhecer a bondade, a misericórdia, como a primeira de todas as características reais. Assim seja também hoje na nossa vida.

 

Sábado, 23 de janeiro

Nobreza de sentimentos

«Lamentaram-se, choraram e jejuaram».